Seguidores

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

PARA OS AMIGOS QUE COMPARTILHAM AS MESMAS RECORDAÇÕES



"Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem, os amigos devem ser amigos para sempre, mesmo que não tenham nada em comum, somente compartilhar as mesmas recordações,
pois boas lembranças, são marcantes,e o que é
marcante nunca se esquece! Uma grande amizade
mesmo com o passar do tempo é cultivada assim!"

Vinícius de Morais




Essa foto foi tirada em 1939, pertenceu a Antônio Tavares, um velho amigo e conterrâneo.
Somente dez anos após esse garotos terem sido fotografados, foi que eu nasci.
Talvez se essa foto  me tivesse chegado às mãos antes dos meus vinte e três anos de idade, eu simplesmente teria dito que não tinha nada a ver comigo. Hoje eles são meus cunhados e, conseqüentemente, os tios dos meus filhos.
Eles são Geraldo e Pedrinho Rêgo (in memoriam)

Hoje, dedico a minha saudade ao meu cunhado Pedrinho Rêgo, que faleceu muito jovem, por isso conheceu apenas um dos meus filhos, Leo.




Pedrinho, na sua juventude, viveu cercado de moças, rapazes, meninos e meninas. Era o convidado especial para as famosas serestas em noites enluaradas. Carregando o seu inseparável violão, acompanhava as belas vozes das moças de sua época, entre elas: Vilani Patriota, Branca Machado, Jovita Alves ...
Apaixonou-se perdidamente por essa moça bonita de olhos grandes e expressivos, que também gostava de música e tocava sanfona.

Carmelita






Adalberto Confessor e Madazinha de João Pequeno, Carmelita e Pedrinho, os casais de enamorados. Tempos depois, Adalberto e Madazinha se separaram para sempre e escolheram outros amores.
 Da esquerda para a direita: Genedite (Ditinha de seu Otaviano), Donza Marques, Marlene Araújo e Bernadete de seu Inácio Preto.



Pedrinho e Carmelita, continuaram juntos.

Casaram

O casal foi morar com Dona Anita Rêgo(in memoriam), a mãe de Pedrinho. Tiveram três filhos: Paulo, Carlos Alberto e Pedro José, o caçula.
Na foto: Dona Anita, com a neta Maria do Socorro (Coca de Tim), e à sua direita: suas filhas Maria Luíza e Maria do Socorro. À sua esquerda as duas noras: Carmelita e Nita Rêgo, que foi casada com seu filho mais velho, Aderbal Rêgo (in memoriam)

Dona Anita Rêgo e alguns dos seus netos:
 No seu colo, Carlos Alberto (filho de pedrinho e Carmelita).
Sentados: à sua direita, Ana Tereza Vilar (filha de Antônio Rêgo (in memoriam). À sua esquerda: Paulo (de Pedrinho) e Geraldo José, filho de Geraldo Rêgo.
As meninas que estão de pé: Da esquerda para a direita, Ana Maria (filha de Terezinha Rêgo), Maria do Socorro (Coca, filha de Adalberto Rêgo) e Rejane (in memoriam), também filha de Terezinha.

"As coisas que restam sobrevivem num lugar da alma que se chama saudade. A saudade é o bolso onde a alma guarda aquilo que ela provou e aprovou. Aprovadas foram as experiências que deram alegria. O que valeu a pena está destinado à eternidade. A saudade é o rosto da eternidade refletido no rio do tempo. É para isso que necessitamos dos deuses, para que o rio do tempo seja circular: “Lança o teu pão sobre as águas porque depois de muitos dias o encontrarás...“ Oramos para que aquilo que se perdeu no passado nos seja devolvido no futuro. Acho que Deus não se incomodaria se nós o chamássemos de Eterno Retorno: pois é só isso que pedimos dele, que as coisas da saudade retornem."

Rubem Alves



Dedico esta postagem a Pedro Rêgo, o filho de Pedro José, portanto, o neto de Pedrinho e bisneto de Dona Anita, para que ele possa guardar a memória viva das suas origens.

4 comentários:

Anônimo disse...

Lusa, fiquei emocionado com essa homenagem ao meu tio Pedrinho(in memoriam), bem merecida e pela apresentação dessas fotos que estou vendo pela primeira vez, de primos, primas. irmãs, avó e amigos, que fazem parte de nossa vida.
Obrigado e parabéns pelo blog Raízes do Coração, que têm sua origem nessa Estação, chamada Itapetim que em qualquer lugar que estivermos, ficamos com vontade de voltar.

Carlos Vilar disse...

Amor, cada vez que você posta histórias como esta. especialmente quando retrata a minha vida,contendo minha mãe, meus irmãos, sobrinhos e sobrinhas, todos que fazem parte do meu TREM DA VIDA,emociona-me e leva de volta ao um passado tão feliz, simples e verdadeiro, que vivi na minha pequena Itapetim.Ao ver essa fotos,vejo amigos que comigo participaram dessa história, uns já desceram em alguma estação e outros continuam a viagem, alguns em vagões afastados do nosso, mas temos os mesmos sentimentos de amizade e carinho.Veja a importância para todos desses seus BLOGS, Deus te dê força e coragem, para que continues esse trabalho,deixando para todos nós esses registros tão importantes.

Lila Piancó disse...

Minha irmã, que retorno ao tempo! Que postagem, para fazer com que os corações que entrelaçados e unidos pelos laços da amizade e do amor, sintam-se hoje na recordação e na lembrança dos bons momentos, vividos por cada um que aqui se encontra.E até para a gente que, mesmo sem tanta convivência, mas que conhecendo a cada um, ficamos também remoendo as saudades.Você minha irmã,tem deixado por aqui o registro de muitas histórias que, guardadas no baú das recordações, voltam a tona mexendo com a sensibilidades das pessoas, lembrando à cada uma que o sentido da vida se encontra naquilo que preservamos, nos laços do amor, um para com os outros. Obrigada pela tua colaboração aos filhos de Deus. Te amo, e beijos!

Carlinda Nunes disse...

LUSA,

QUE BOAS RECORDAÇÕES! ADOREI VER TODAS AS FOTOS. ADMIRO A TUA SENSIBILIDADE EM DEIXAR PARA OS NETOS DE PEDRINHO AS LEMBRANÇAS E A HISTÓRIA DE SEUS AVÓS.
"TUDO VALE A PENA QUANDO A ALMA NÃO É PEQUENA" .
TEUS ESCRITOS, TUAS MENSAGENS SÃO VALIOSAS, QUE A LUZ CELESTIAL CONTINUE A TE ENVOLVER, PARA QUE POSSAS PASSAR CADA VEZ MAIS ESSA ENERGIA FANTÁSTICA, CHEIA DE TERNURA E AMOR

Abraço de carlinda