Seguidores

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

QUE BOM TE ENCONTRAR, ROSINHA!


Um dos inúmeros comentários postados no meu "Raízes", assinado por Rosinha:

"Estou simplesmente maravilhada com seus blogs. Parabéns sinceros do fundo do coração, são feitos com amor, verdade e sabedoria. Os meus são feitos por uma principiante, mas com os mesmos ideais, pode crer, minha amiga, deixe que a trate assim, pois é o que sinto. Adoro a família, tenho uns filhos e uns netos que são meu encanto e que andam sempre no meu coração.
Rosinha."
O meu coração me levou à Coimbra, precisava conhecer de perto essa portuguesa que, mesmo sem me conhecer pessoalmente, mesmo estando além mar, julgou-me ser uma pessoa sincera, verdadeira e sábia, capaz de guardar e distribuir  amor àqueles que me são caros.

Há tempos vínhamos trocando comentários em nossos blogs. Postei minhas impressões e meus agradecimentos nos seus blogs: Amor Maternal e De Tudo um pouco , mas o desejo de conhecê-la pessoalmente era algo que não conseguia tirar do meu coração, principalmente porque, ao ler suas postagens, senti enorme identificação de perfil: amante da família, mãe e avó dedicada.

Ao programar nossa viagem à Europa fizemos questão de incluir Coimbra, pois, lá estava Rosinha, e o meu coração não me perdoria se deixasse escapar esta oportunidade de ouro. E assim, ainda em Paris, falei com ela pelo computador, ficou acertado que ao chegarmos em Lisboa combinaríamos dia e hora para o nosso encontro.

Partimos de comboio para Estação do Oriente, e lá chegamos por volta de duas horas da tarde. Ao desembarcarmos eles estavam na plataforma à nossa espera, abraçamo-nos como velhas amigas, embora nunca tivéssemos nos visto pessoalmente.
Rosinha estava em companhia do seu esposo, Paulo, tão simpático e acolhedor quanto ela, nos recebeu com a mesma amabilidade.

Nunca fomos tão assediadas pela imprensa local (Paulo e Vilar), cada um a seu tempo clicava para fotografar a alegria das amigas que acabavam de deixar de ser virtuais, para agora, sim, serem de carne e osso.




E ali, defronte uma para a outra, sacramentamos a amizade que já existia, antes mesmo de nos conhecermos pessoalmente. Os maridos também trocavam suas conversas e, naquele momento, recebemos o convite para o almoço que o casal nos ofereceu no Restaurante Pedro dos Leitões, um ponto turístico imperdível para quem visita Coimbra.


O mais conhecido e o mais antigo dos restaurantes da Mealhada é o "Pedro dos Leitões". Álvaro Pedro, antes de se instalar em sua própria cidade de nascimento, morou no Brasil, em São Paulo, onde não se deu bem no negócio de restaurantes. Na década de 40, numa casa modesta junto à estrada Porto-Lisboa, começou a tornar famoso o leitão da Bairrada, que antes era circunscrito ao consumo doméstico da própria região. No princípio dos anos 50, com a inauguração da auto-estrada e o aumento do tráfego entre Lisboa e o Porto, o restaurante cresceu e hoje é uma casa ampla que atende a mais de 800 pessoas por dia em cada fim de semana.

Provamos dos leitões do Pedro, uma delícia! Melhor ainda, a companhia do amável casal que nos recebeu de maneira impecável, entre um garfo e outro íamos debulhando rapidamente algumas de nossas histórias.

Leitões inteiros


Servidos à mesa



Lindo quadro de azulejos na parede do restaurante.

"Para quem sái do Porto de carro em direção a Lisboa, pela auto-estrada A1, a apenas 17 quilômetros de Coimbra está situada a Mealhada, na região da Bairrada, famosa por seus vinhos encorpados e pelo Leitão à Bairrada, glória e orgulho da gastronomia portuguesa.
É um dos dezenove "Concelhos" do Distrito de Aveiro. Os "concelhos" são o equivalente aos distritos de um Município, no Brasil. Na entrada da cidade, como um portal que identifica a sua principal atividade econômica, está exposta num conjunto de azulejos a imagem de um homem assando um leitão enfiado num espeto, num forno de barro muito usado na região. Azulejos como os que existem até hoje no Brasil, na nossa herança cultural portuguesa guardada nas igrejas coloniais, só que, ao contrário daqueles da Mealhada, os nossos contêm imagens de santos e cenas religiosas."






Ao témino do delicioso almoço, os nossos amigos nos convidaram para fazer um rápido passeio pela Cidade de Coimbra, teria que ser rápido mesmo, pois já estávamos com o bilhete de volta à Lisboa, não poderíamos nos demorar para não perder o horário do comboio.

Partimos em direção a Universidade de Coimbra e, por lá, ainda tivemos a oportunidade de conhecer coisas maravilhosas a exemplo do "Retiro dos Poetas", um local onde estudantes que passaram pela Universidade voltam para gravar seus poemas de saudades e agradecimentos. Em blocos de alvenaria, vão deixando poemas evocando os bons tempos em que alí adquiriram seus conhecimentos, tornando-os profissionais.





Os nossos amigos nos levaram para um tour na cidade, apesar do curto tempo conhecemos, graças a Paulo e Rosinha belos lugares. Vejam alguns dos principais lugares por onde passamos:




Os Arcos do Jardim ou Aqueduto de São Sebastião, situados em frente ao Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, foram outrora um aqueduto romano, que servia para abastecer a alta de Coimbra.
Construído pelo engenheiro italiano Filipe Terzio no reinado de D. Sebastião, sobre ruinas de um aqueduto da época romana, ligava os morros onde se situavam o mosteiro de Santana e o Castelo, vencendo uma depressão em vinte e um arcos.
Por sobre o Arco de Honra existe um conjunto de duas esculturas representando, do lado Norte São Roque, do lado Sul São Sebastião.
(Texto: Wikipedia)



COIMBRA (Portugal): Igreja de São Tiago - Sé Velha 


"A Sé Velha é um dos grandes expoentes do românico português. Erguida num período em que a fronteira entre cristãos e muçulmanos assentava na linha do Mondego, conservou traços de igreja-fortaleza, com fachada rematada por ameias. Exteriormente domina o românico. No interior são visíveis outros estilos. É o caso da Porta Especiosa, na fachada lateral norte, que data da segunda metade do século XVI, atribuída a João de Ruão. A cabeceira é formada por uma ábside do século XII, rematada por uma cúpula do século XVII. O claustro é uma das primeiras obras góticas do país.

O aspecto mais notável da decoração românica da Sé Velha é o grande número de capitéis esculpidos (cerca de 380), que a converte em um dos principais núcleos da escultura românica portuguesa."





Igreja de Santa Clara

Nesta Igreja está sepultada a Rainha Izabel de Aragão. Local de repouso final depois de tersido trasladada do seu antigo convento "Convento de Santa-a- Clara - A Velha". Neste momento os seus restos mortais repousam num túmulo de prata, mas o túmulo original em pedra de ançã também se encontra nesta igreja no coro baixo.



Santa Izabel - A Rainha Santa




Do Miradouro do Vale do Inferno avistei a belíssima Coimbra!


Situado na margem esqueda do Mondego, que oferece as melhores vistas de uma cidade cheia de miradouros, este é, possivelmente, o mais espectacular. Fica na antiga estrada que descia para a ponte de Santa Clara e oferece o panorama mais "completo" sobre a cidade do Mondego, abrangendo o Choupal, a Lapa dos Esteios, a Quinta das Lágrimas, as margens e o curso do Mondego, bem como a Baixa e a Alta da cidade.

Terminado o nosso maravilhoso e corrido passeio pelas ruas de Coimbra, Paulo e Rosinha fizeram absoluta questão que fôssemos até a sua residência, onde posamos para as fotos finais e recebemos três belíssimos presentes:




Um excelente vinho do Porto


Um pano bordado no tear.



A Imolização Gessada Convencional/Clássica em Ortotraumatologia
(De Paulo Homem)
Por fim, Paulo nos levou para conhecer o seu cantinho de "caríssimas catrevagens" dentre as mais belas, uma coleção de candeeiros antigos, onde ele me afirmava que só estava precisando de um único modelo para terminá-la. Lembrei-me naquele momento do meu primo/cunhado, Heráclio, que também curte a sua aposentadoria na garagem de sua casa, numa oficina que apelidamos de "A Oficina do Professor Pardal". 
Claro que me lembrei de Dhota, meu amigo e conterrâneo, por causa do seu blog Caríssimas Catrevagens onde ele faz resgates tão significativos de memoráveis lembranças relativas a coisas que já não existem mais.

O mais recente trabalho do meu mais novo amigo, Paulo, é a recuperação da cama que pertenceu ao senhor seu pai:


 Fiquei maravilhada !

Aqui deixo registrada a nossa passagem por Coimbra, e os nossos agradecimentos pela calorosa recepção do casal Rosinha e Paulo, e quero deixar também a certeza de que ter estado com vocês faz parte das coisas que não se tiram do coração. Resta-nos, para completar a nossa alegria, recebe-los no nosso Brasil, lhes assegurando que de tudo faremos par retribuir tantas gentilezas.


VÍDEO QUE GUARDA IMAGENS DA NOSSA VISITA A COIMBRA


  

4 comentários:

Lila Piancó disse...

Minha irmã, como estou maravilhada com uma deslumbrante viagem como esta. Estou feliz porque sei que você passou momentos dessa natureza. Conheceu seres humanos com dignidade e calorosos, o que é difícil nos dias de hoje. Que maravilha é Portugal! Eu me sinto como que nele já vivi, mexeu com as minhas fibras do coração, como tudo é lindo! Esperamos pela visita dos nossos amigos portugueses, pois assim também já me considero, feito os laços através de você. Quero está presente quando isso acontecer.

MARCOS DHOTTA disse...

Caríssima, como é bom ver-te assim... Felizzzzzzzz. Encantada com toda essa maravilha - vivenciada - num lugar tão lindo. Tu és merecedora de tudo isso. E tua felicidade também é nossa. Esse teu encontro com Rosinha, sua amiga de além mar, é um atestado em vida de tua magnetude para com os amigos. Por isso, e por muito mais, é que me sinto honrado em ser teu amigo. Obrigado pelos feitos que tens me ensinado até hoje. Um abraço em Carlos também!

Linda Simões disse...

Lusa,

Descrevestes muito bem o que é sair do virtual e ir passar pro real,face a face. Também eu sai do virtual e fui conhecer amigos em Portugal, caríssimos, como diria o nosso Dhotta, e que me hospedaram por quase 2 meses,me mostrando muitos lugares aconchegantes e lindos. Pessoas que me acolheram em suas casas,junto aos seus filhos e maridos,netos e que me tratavam como uma amiga,uma "filha do coração" muito querida. Com mimos,atenção e carinho,me mostraram que barreiras não existem quando acreditamos na amizade, nas pessoas e no poder de Deus, que está em todas as coisas. E aqui ou em qualquer lugar que estejamos, o que vale é a nossa essência, para além de qualquer classe social,credo ou etnia.

Parabéns pela postagem.E,sabes que depois que conheci o teu blog foi que comecei a pensar em fazer o mestrado em Memória e Patrimônio ( um dos motivos que me levaram a Portugal,além de conhecer os amigos, claro!). ?!

Obrigada pela partilha.

Isso vale um abraço !


Linda Simões

Lusa Vilar disse...

Mensagem de Rosinha por e-mail:

Amizade não tem preço,ela vem de nós, do nosso coração !É tão bom ter amigos como vocês !Fiquei deveras fascinada convosco!Não me canso de ver os seus trabalhos que são extraordinários, em todo o sentido:amor, ternura , empatia e sabedoria. Deixei postagem . Tenho estado no Algarve em casa dum filho o mais velho e com os netinhos não faço nada, estou sempre a ser solicitada( uma tem 6 anos e o outro 8 ),não me dão sossego.
Por isso estive um pouco ausente.Agora em casa o meu tempo é superior.
Estamos pensando na visita, mas nada está decidido, depois eu digo Muito obrigada pela vossa, que jamais esqueceremos.Desejamos tudo de bom para todos , que Deus vos ajude em tudo da vossa vida e dos seus.
Um grande beijinhos destes amigos sinceros, que a distância não afasta.