Seguidores

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

IMORTAL AFEIÇÃO!



"Padre João fixou-se no município de Itapetim, em 1928, tornando-se um dos grandes vultos da nossa história, pela dedicação e amor intransponíveis a este pedaço de terra do Sertão pernambucano. Foi um veemente chefe político sempre ligado às forças políticas da direita. Grande batalhador pela emancipação do nosso município.
Padre João Leite Gonçalves,figura ultra carismática,ele nasceu no dia 7 de julho de 1903 no Pajeú. Filho de Cláudio Leite de Andrade e Josefa Gonçalves de Andrade. Ao cursar o primário, descobriu sua vocação para o sacerdócio,demonstrando aos seus familiares o desejo de estudar Teologia. Entrou para o Seminário de Pesqueira,concluindo o Ginásio e o Clássico. Em seguida,deu um passo importantíssimo,ingressando no Seminário de Olinda, onde finalmente cursou Filosofia e Teologia - fato que culminou com sua ordenação plesbiterial realizado por Dom José Antônio de Oliveira Lopes,no dia 2 de abril de 1927.
Já como padre,iniciou seus trabalhos religiosos na cidade de Buíque-PE, e, em seguida,em Pedra de Buíque. Mediante as labutas exemplares,foi convocado pelo Bispo da Diocese de Pesqueira para ser seu secretário. Finalmente, realiza sua paixão anorável de servir a seu povo na terra natal. Nomeado vigário da Paróquia de São Pedro das Umburanas no dia 4 de janeiro de 1928, assumiu-a,em definitivo,no dia 09 do mesmo mês.
Ele preencheu uma grande pauta de atividades prestadas à nossa gente. Mais que religioso, foi um político que lutou com garra por cada obra que surgiu aqui - e que deixou sua marca indelével. Doou 42 anos de sua digníssima vida a Itapetim,falecendo a 1 de dezembro de 1969."
 (Texto elaborado,com algumas alterações vocabulares,a partir do original do Professor Benones Lopes,retirado do livro "ITAPETIM: histórias de seu povo",por Paulo Patriota em 25 de Maio de 2006.)

Eu quero parabenizar o Professor Benone Lopes pela maneira justa, imparcial e histórica  que escreveu sobre a memória deste grande homem que um dia existiu entre nós. Agradeço também a Paulo Patriota pela fidedignidade à fonte pesquisada , bem como a disposição de transcrever para aquela enciclopédia online os dados históricos do nosso querido município.

Quando meu Tio Benone faleceu, eu encontrei este quadro pendurado em uma das suas paredes. Tratava-se de um recorte de jornal em circulação, à época, cujo nome não aparece.
Quando dele me aproximei eu fiz a seguinte leitura:

O falecimento do Pároco de Itapetim
O cônego João Leite Gonçalves de Andrade

Uma triste e dolorosa notícia circulou, pesarosamente, por todos os recantos do município sertanejo de Itapetim, na tarde do dia 18 de dezembro último, enchendo de mágoa, de dor e de saudade o coração bondoso e sensível dos moradores daquela localidade e municípios circunvizinhos:o falecimento, às 14, 40 horas em sua residência, à Rua Major Cláudio Leite, do virtuoso pároco da Matris de São Pedro da Lages, O CÔNEGO JOÃO LEITE GONÇALVES DE ANDRADE, que durante 43 anos ininterruptos exercia alí o seu santo apostalado, impondo-se à admiração, à estima e à amizade dos seus paroquianos que lhe devotavam um profundo respeito, uma imortal e extraordinária afeição.
Conhecido na cidade o infausto acontecimento, foi logo divulgado em toda região sertaneja causando o mais vivo e profundo pesar.
Minutos depois, a residência do extinto ficou literalmente repleta de pessoas de todas as condições sociais que foram velar o corpo e apresentar condolências à família enlutada, destacando-se o Prefeito José Francisco dos Santos, o ex deputado Walfredo Paulino de Siqueira e outras altas autoridades, inclusiv o Bispo Dom Francisco Austragésilo de Mesquita, que chegou às 20 horas, de Afogados da Ingazeira, celebrando missa de corpo presente.
Depois o caixão mortuário foi conduzido ao salão nobreda Câmara de Vereadores, para receber o último adeus das autoridades e do povo em geral.
Durante duas horas permaneceu em câmara ardente, saindo, posteriormente, para a matriz local acompanhado por enorme multidão.
Às 10,30 horas, foi celebrada nova missa de coro presente, pelo Bispo de Afogados da Ingazeira, com a participação de oito sacerdotes, quando , então, Dom Francisco pronunciou tocante oração em homenagem ao morto, pondo em relevo a sua atuação de padre e pácoco de Itapetim.
Viam-se presentes autoridades civis e militares, sacerdotes de outras paróquias, corpo discente do Colégio Municipal e do Grupo Escolar Tereza Torres, deputados, agricultores, comerciantes, etc.
Segui-se, enfim, as cerimônias do sepultamento na própria matriz.
Contava com 66 anos de idade e deixou 4 irmãs: Senhorita Alice e senhoras, Laura, Hilda, e Iracy Almeida, casada com o sr. José Matias de Almeida.

Em 1969 eu era noiva de Carlos, hoje meu marido. Esse sacerdote que casou os meus pais, me batizou, celebrou minha primeira eucaristia, infelizmente, não concretizou a alegria de celebrar o meu casamento, cujo desejo de fazê-lo me revelava todos os dias.
No dia do seu sepultamento, naquele momento marcado de grande emoção, qunado os sinos da Igreja Matriz de São Pedro das Lages anunciavam o luto e a saudade que se instalariam para sempre no coração de todos os itapetinenses, eu estava presente. Eu senti a dor da sua perda, como um filho que sofre a perda de um pai. Aquele sacerdote, totalmente identificado com a sua vocação, estaria sendo acolhido pelas mãos sacerdotais de Jesus Cristo, sumo e eterno sacerdote, deixando saudades imorredouras no coração de cada um dos nossos conterrâneos. Os cristãos perdiam o pastor espiritual, Itapetim perdia o maior chefe política de quem se tem notícias na história da minha terra e, a família Piancó perdia um dosseus maiores amigos.
No baú das minhas lembranças, Pe João Leite continuará vivo para sempre, ele é uma das pessoas que fizeram parte da minha vida e jamais sairá do meu coração.


Jazigo do Cônego João Leite Gonçalves de Andrade - Matriz de São Pedro das Lages

Agradeço ao meu Tio Benznho (in memoriam) por ter emoldurado o recorte do jornal que anunciou aquele dia fatídico para todos os meus conterrâneos, por isso dedico a ele esta postagem que acabo de fazer.

P.S. Se você recebeu esta postagem , por favor não responda por e-mail, visite Raízes do Coração clicando no link " Postado por Lusa Vilar", se desejar deixe seu comentário. Obrigada.

2 comentários:

Enaide Alves disse...

Parabéns pela postagem tão relevante para onosso município, para nossas raízes.

O Padre Jão nasceu no dia 07 de julho mesma data que meu irmão Hosman, e como eu tambem nasci no mês de Julho temos algo em comum: o mesmo signo.

Lusa menina! já passei uns perrengues com o Padre João certa feita tinha que me confessar, nãome lembro porque? talvez porque teria que me crismar. então lá fui fazer á minha confissão o problema é que não tinha pecado, naquele tempo era toda pura, e se não tinha pecado o que danado eu iria confessar? então o jeito foi inventar alguns, e foi o que fiz: em suma foi ái que cometi o pecado da MENTIRA!
Enaide Alves.

Paulinho Patriota disse...

Lusa,minha prima,

Como sempre,a tua postagem sobre o cônego imortal de Itapetim,transpirou a cognitividade envolta em emoção.

Quando Padre João morreu,eu contava apenas seis anos e cinco meses de idade,mas posso lembrar da visita que meus pais fizeram quando ele estava doente. Recordo também que,sempre ao vê-lo,pedíamos a sua bênção. Realmente,era um ser "canonizado",e suas cãs o emoldurava de uma candura santificada ainda maior aos olhos do menino Paulinho Patriota.

Teu saudoso e polido tio Benzinho,além da congênita brandura de trato,deixou-te um legado precioso do tempo anterior. Itapetim agradece e eu te congratulo por continuares preservando-o no ofício da memória.

Obrigado por te manteres fiel ao tempo anterior,emergindo o que é de tão sagrado à história itapetinense.

Um beijo.